Páginas

Bonito - MS

É Bonito!  (Parte I)                                                                                               foto by (www)                                                                                                                    

          Há alguns anos ouvi falar desse lugar de nome (bonito) e atrativos naturais surpreendentes. Achei ótimo poder desfrutar as diferentes belezas naturais que estão por aí nesse Brasil, pertinho da gente. Bonito é tudo o que dizem dela. Cidadezinha típica de interior, em que à tardinha cadeiras são dispostas nas calçadas, as pessoas ficam na soleira das portas ou debruçadas nas janelas, por onde se pode espiar o interior dos lugares. Os visitantes circulam misturando-se aos locais, há burburinho nas lojas, nos restaurantes, nas sorveterias, tendas de artesanato e na praça central.
                                                                                                                                         fotos by: Ira
          É para a praça que acorrem os que buscam alguma distração no sábado à noite. Tem roda de capoeira e – surpresa! – um campeonato de Luta de Braço com a participação de duplas femininas. Há música, com dedicatórias e recados. A transmissão da luta pelo som dos alto-falantes é seguida pelos gritos das torcidas para os competidores das diferentes categorias. Não poderia faltar um laguinho artificial, um chafariz e esculturas regionais. No entorno, barraquinhas de cachorro-quente, churros, pastéis.
          
          Entre os atrativos urbanos, uma caminhada pela rua principal e suas transversais proporciona interessante painel das ofertas gastronômicas sul-matogrossenses: pastel de jacaré, X-jacaré, jacaré a doré, caldo de piranha, sushi de piranha, sorvete assado, entre outras curiosidades. Experimentamos alguns pratos locais, dos quais elegi como inigualável um peixe da região (Piraputanga) preparado de maneira especial por um chef.... japonês.

          Tá, mas a gente foi lá – como todo mundo – pelos passeios de ecoturismo, atividades de aventuras, observação de animais silvestres e da natureza privilegiada da região. São muitas as atrações, difícil escolher: trilhas, flutuação, balneário, cavernas, aquário natural, cachoeiras, mergulho nos rios, fazendas, passeios a cavalo, grutas, bóia cross, passeios de bote.
          



          As atrações localizam-se a alguns quilômetros da região central e requerem a contratação de transporte. Para quem vai por conta, como nós, que saímos de São Paulo, é aconselhável montar um roteiro prévio pela internet que inclua transfer inclusive do aeroporto de Campo Grande até Bonito (cerca de 300 km), ida e volta. Para todas as atividades que escolhemos, um serviço de Van nos pegava no hotel e, ao final, nos conduzia de volta até ao centro. Todos os passeios precisam ser negociados antecipadamente nas próprias agências locais, mediante vouchers.
                                                                  
          Adorei o percurso de arvorismo, sempre quis andar por cima da copa das árvores, testando meu lado macaca. Depois de uma aulinha rápida com os instrutores e portando equipamentos de segurança, a gente inicia o trajeto subindo até uma casa da árvore. Dali em diante, são só cordas, nós, redes, cabos, pedaços de madeira amarrados à guisa de degraus, sempre em escala ascendente, atingindo cerca de 15m do solo e com dificuldades gradativas. 
          

fotos by: (www)

          
          Ao final, uma tirolesa sobre a mata e outra para encerrar a brincadeira com uma queda na água fria do rio Formoso (vídeo demonstrativo).

          Para quem morre de medo de água como eu (juro, me afogo no chuveiro), topar atividades como bóia cross e flutuação soa como aventura pra lá de radical. Começamos com uma pequena caminhada por trilha na mata até chegar na beira do rio Formoso, onde também recebemos instruções antes de enfrentar as corredeiras em bóias individuais.      
          Logo no começo um caldo obrigatório (pra perder o medo de vez),  ninguém escapa de ser tragado pela primeira cachoeira, mas fui logo resgatada por um dos monitores que acompanham tudo de perto (vídeo demonstrativo). Depois disso, agarrei-me tão fortemente à boia que poderia descer as cataratas do Niagara sem sair dela.
          A flutuação no Rio Sucuri, de águas límpidas e cristalinas, proporciona a sensação de enxergar um mundo diferente. O passeio inclui roupas especiais para mergulho e pode-se alugar câmeras para as fotos subaquáticas. O grupo, acompanhado de um monitor, sobe o rio num barco a remo (o trabalho é de equipe). Para retornar, é só se deixar levar pela correnteza rio abaixo aproveitando a incrível oportunidade de ver o fundo do rio, a sua flora exótica e os cardumes de peixes que passam ao lado (vídeo demonstrativo).

 --- 
Dicas/Experiências:
Turismo -  Portal Bonito (www)
Gastronomia -  Restaurante que serve o prato "Piraputanga (peixe da região) sem espinha": Sale & Pepe.
Alojamento -  Ficamos no Lucca Hotel Pousada (www)
Passeios - Hotel Cabanas  oferece: arvorismo, bóia-cross, flutuação, mergulho, arco e flecha (www).
--- 

Nenhum comentário:

Postar um comentário